Revista Novo Perfil Política

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Há 20 anos, o 1º presidente eleito após o fim do regime militar perdia cargo.
Em 29 de setembro de 92, Câmara aprovou seu afastamento.


Um dos principais fatos políticos na história do Brasil, o impeachment do ex-presidente Fernando Collor de Mello, atualmente senador pelo PTB, completa 20 anos nesta semana.

Em 29 de setembro de 1992, a Câmara dos Deputados aprovou a perda do cargo do ex-presidente, marco do processo que levou à renúncia e perda dos direitos políticos de Collor por oito anos.

Tudo começou em 1989, quando o Brasil realizou a primeira eleição direta após três décadas. Durante a campanha eleitoral para a escolha do primeiro presidente eleito pelo voto popular após a ditadura, Collor se apresentou como "caçador de marajás".

"Vamos fazer do nosso voto, a nossa arma. Para retirar do Palácio do Planalto, de Brasília, os maiores marajás deste país", disse Collor em um comício.

Ele foi eleito com 35 milhões de votos contra 31 milhões recebidos pelo segundo colocado, o então sindicalista e hoje ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Meses depois da posse, em 15 de março de 1990, começaram a surgir denúncias de que o tesoureiro da campanha de Collor Paulo César Farias, o PC Farias, pediu dinheiro a empresários e ofereceu vantagens no governo.

Em 1991, Collor falou publicamente sobre as suspeitas. "Toda e qualquer denúncia tem que ser exemplarmente apurada", afirmou.

Em maio de 1992, uma reportagem da revista "Veja" levou à abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Congresso.

Pedro Collor disse à revista que PC Farias era "testa-de-ferro" do irmão e que o presidente sabia das atividades criminosas do tesoureiro.

Em 20 de junho de 1992, Collor negou relações com PC Farias. "Há cerca de dois anos não encontro o senhor Paulo César Farias, nem falo com ele. Mente quem afirma o contrário."

Diante da pressão da CPI, Collor pediu o apoio da população. "Que saiam no próximo domingo de casa com alguma das peças de roupa nas cores da nossa bandeira. Que exponham nas janelas, que exponham nas suas janelas toalhas, panos, o que tiver nas cores da nossa bandeira. Porque assim nós estaremos mostrando onde está a verdadeira maioria", disse o então presidente.

A estratégia foi mal-sucedida, e os chamados "caras-pintadas" saíram às ruas vestidos de preto e pedindo a saída de Collor da Presidência.

No mesmo mês, Collor sofreu outro revés. A CPI no Congresso concluiu que ele foi beneficiado pelo suposto esquema montado pelo ex-tesoureiro PC Farias.

O relatório da CPI afirmou que Collor cometeu crime de responsabilidade ao usar cheques fantasmas para o pagamento de despesas pessoais, como uma reforma na Casa da Dinda e a compra de um carro Fiat Elba. Com isso, o caminho para o impeachment estava aberto.

Em 29 de setembro de 1992, ocorreu o principal marco do processo que levou à saída de Collor da Presidência.

A Câmara aprovou o pedido de impeachment. O caso foi ao Senado, que abriu um processo para apurar se houve crime de responsabilidade e que deveria estar concluído em até 180 dias. A comissão de impeachment era presidida pelo presidente do Supremo, ministro Sidney Sanches.

Até lá, Collor ficaria afastado da presidência temporariamente, sendo substituído pelo vice Itamar Franco, o que só aconteceu em 2 de outubro de 1992. Foi o dia em que Collor desceu a rampa do Palácio do Planalto pela última vez.

Em 29 de dezembro, em uma sessão comandada pelo presidente do STF, o Senado decidiu que Fernando Collor era culpado pelo crime de responsabilidade.

Para tentar escapar da possível inelegibilidade por oito ano, o ex-presidente renunciou.

O Congresso entendeu que, mesmo assim, ele deveria perder os direitos políticos. O ex-presidente tentou questionar a inelegibilidade no Supremo, mas o tribunal entendeu que ele deveria mesmo perder os direitos políticos.






Revista Novo Perfil Online
Fonte: G!

quarta-feira, 26 de setembro de 2012


Faltando 11 dias para eleições municipais, a campanha em João Pessoa chegou à guerrilha digital. Na noite desta quarta-feira (26), o prefeito de João Pessoa, Luciano Agra, denunciou que teve o seu microblog no Twitter hackeado.
No seu perfil, apareceu um post com o seguinte conteúdo: "Meu filho entregue mesmo o cargo antes que descubram o restante. Nonato acha que se ações aparecerem será pior para todo mundo. Fique em silêncio que saberemos como lhe recompensar". 
O "falso post" está sendo investigado, segundo o próprio Luciano Agra. O conteúdo é uma referência ao secretário municipal da Transparência, Alexandre Urquiza, que vem sendo torpeado por denúncias desde a última segunda-feira (24). 
O presidente municipal do PSB, Ronaldo Barbosa, pediu nesta terça-feira que Agra exonere Urquiza. Ele ainda cobrou que o candidato a prefeito pelo PT, Luciano Cartaxo, aliado de Agra, manifeste sua posição em relação ao episódio.
Primeiro, Urquiza foi acusado de incluir sua filha num cadastro automático do Governo Federal, que a incluiu como inscrita no programa 'Bolsa Família'. Urquiza disse que sua filha não pegou um centavo do benefício e que cancelou o cartão, assim que o recebeu em sua residência.
 
Nesta quarta, as denúncias foram sobre nomeações de familiares do secretário em cargos comissionados da Prefeitura Municipal de João Pessoa. Urquiza disse que as denúncias fazem parte de "um jogo sujo" porque ele optou a ficar com o candidato apoiado pelo atual prefeito e não seguiu a candidatura indicada pelo PSB de João Pessoa.
 
Logo após o primeiro post no Twitter, o próprio prefeito voltou às redes sociais para para informar que invadiram a sua conta e que os usuários desconsiderassem o que foi escrito.
 
Agra tuitou: “Comunico aos meus seguidores que invadiram minha conta. Não considerem tudo que foi veiculado indevidamente no meu nome no dia de hoje”.  
 
Recentemente a conta do Twitter do governador Ricardo Coutinho também foi hackeada. Ao invés da sua foto original do seu perfil nesta rede social, aparecia a fotografia de uma mulher loira, bastante magra e sorrindo muito. 
 

Confira os post, na sequência, de baixo para cima, do prefeito Luciano Agra:
Twitter de Luciano Agra
  
Revista Novo Perfil Online
Fonte Portal Correio

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

É um momento muito duro e desolador. A sensação é de que a morte é muito oca e que vivo um dos momentos mais difíceis da minha vida. O consolo são as mensagens de força e de coragem de cada um de vocês, o carinho dos familiares, a solidariedade dos amigos, a garra da militância girassol que me guia em pleno pleito eleitoral, e, acima de tudo, o amparo e o amor da minha mãe que tem se mostrado serena e forte. E será por ela que vou seguir em frente, não vou esmorecer e seguirei trilhando os caminhos e as batalhas da vida como meu pai gostaria que fosse: seguindo os seus princípios de cabeça erguida, na luta e na capacidade de construir um amanhã melhor para todos. 

Preciso carregar comigo a convicção de que a morte é uma passagem e que logo essa dor que estou sentindo há de passar. Tenho a certeza que meu pai fez uma passagem tranquila e que está num lugar melhor que aqui e sei que ele estará na luta e olhando por mim lá de cima. Rodeada de tanto amor e apoio, eu nunca seguirei só. Obrigada mesmo! 

Segundo informações da assessoria, Aluilson de Souza. Ele tinha 75 anos e era aposentado.ele sofreu um infarto por volta das 14h30 domingo 23, chegou a ser atendido no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, acompanhado da filha, mas não resistiu e acabou morrendo. O enterro foi no cemitério de Cabedelo. 





Redação Revista Novo Perfil Online

sexta-feira, 21 de setembro de 2012


O Ibope divulgou, nesta sexta-feira (21), uma nova pesquisa de intenção de voto sobre a disputa pela Prefeitura de João Pessoa neste ano. onde a margem de erros é de 4% revelando empate técnico entre Estela (PSB) e Maranhão (PMDB).
A pesquisa foi encomendada pela TV Cabo Branco.

Em relação à pesquisa anterior, Cartaxo foi de 14% para 29%, Cícero, de 26% para 20%, Maranhão, de 27% para 18%, e Estela, de 9% para 14%.

Veja os números do Ibope para a pesquisa estimulada:
Luciano Cartaxo (PT) - 29% das intenções de voto
Cícero Lucena (PSDB) - 20%
José Maranhão (PMDB) - 18%
Estelizabel Bezerra (PSB) - 14%
Lourdes Sarmento (PCO) - 1%
Renan Palmeira (PSOL) - 1%
Antônio Radical (PSTU) - 1%


A pesquisa foi realizada entre os dias 18 a 20 de setembro de 2012. Foram entrevistadas 602 pessoas na cidade em João Pessoa. A margem de erro é de 4 pontos percentuais, para mais ou para menos.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB), sob o protocolo 00071/
2012. A pesquisa havia sido suspensa pela Justiça Eleitoral, mas, no final da tarde desta sexta-feira (21), a decisão foi revertida e a divugação foi autorizada pelo TRE.

Pesquisas anteriores
primeira pesquisa do Ibope foi divulgada em 10 de agosto e registrou os seguintes resultados: José Maranhão com 27%; Cícero Lucena (26%); Luciano Cartaxo (14%); Estelizabel Bezerra (9%); Lourdes Sarmento (1%); Renan Palmeira e Antônio Radical não pontuaram.

Rejeição
O Ibope também perguntou aos entrevistados sobre o nível de rejeição aos candidatos a prefeito da cidade de João Pessoa.

O resultado estimulado e múltiplo desta pesquisa foi: 33% disseram que não votariam de jeito nenhum em José Maranhão (PMDB); 33% em Estelizabel Bezerra (PSB); 30% em Cícero Lucena (PSDB); 23% em Antônio Radical (PSTU); 23% em Renan Palmeira (PSOL); 19% em Lourdes Sarmento (PCO); 14% em Luciano Cartaxo (PT); 7% disseram que poderiam votar em todos; 7% não sabem ou não responderam.

Aprovação da gestão do prefeito Luciano Agra
Ainda foi divulgado pelo Ibope o resultado da pesquisa que mostra como os eleitores de João Pessoa avaliam a administração do prefeito Luciano Agra (sem partido). Veja os números da avalição da gestão:

Regular - 37% dos eleitores
Boa - 34%
Ótima - 17%
Péssima - 5%
Ruim - 3%
Não sabe/não respondeu - 4%



Redação Revista Novo Perfil Online
Fonte: Paraiba1
As coligações de Estela Bezerra (PSB), de José Maranhão (PMDB) e de Cícero Lucena (PSDB), candidatos à prefeitura de João Pessoa, entraram com ações contra a coligação do candidato Luciano Cartaxo(PT), após um vídeo onde Luciano, acompanhado do atual prefeito da capital, Luciano Agra, e de outros secretários ser divulgado na internet. Ele aparece em uma reunião com agentes municipais supostamente fazendo campanha. 

As ações relatam que o vídeo mostra o candidato e o atual prefeito fazendo supostas coações aos servidores pedindo por apoio à Luciano Cartaxo, durante horário de trabalho. Ainda de acordo com as ações, no vídeo é possível ver o candidato do PT pedindo voto e garantindo benefícios futuros. Na reunião com os servidores, além do candidato petista e do atual prefeito de João Pessoa, estão presentes o procurador do município Waldeberto Martins e a secretária de saúde, Roseana Meira.

Rodrigo Farias, responsável pelo setor jurídico da coligação de Luciano Cartaxo, afirmou que “o caso não está na justiça eleitoral ainda, não fomos notificados ainda. Preciso ver a ação para saber o que esta se alegando, já que pelo vídeo não vejo nenhuma irregularidade. A repercussão não condiz ao fato. O homem público Luciano Cartaxo foi convidado para debater um tema que ele aborda desde que é vereador. Tratou do tema com o sindicato. Não há hipótese nenhuma de crime eleitoral”.

Rodrigo disse ainda que as ações devem conter material com informações erradas, já que a reunião não foi feita durante horário de trabalho e sim no turno da noite.

Revista Novo Perfil Online
Fonte: G1

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Apontados como principais protagonistas da cena política em 2014, quatro lideranças estaduais têm os espaços de suas agendas acirradamente disputados pelos candidatos a prefeito nos municípios paraibanos. Em média, os senadores Cássio Cunha Lima (PSDB) e Vital Filho (PMDB), o governador Ricardo Coutinho (PSB) e o prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) percorrem oito municípios entre a sexta-feira e o domingo.

Além das gravações para praticamente todos os municípios da Paraíba, na reta final das eleições , Ricardo, Cássio, Vital Filho e Veneziano têm dividido suas agendas entre comícios, passeatas, carreatas, arrastões,adesivagem, bandeiraço e outras atividades de rua. Ainda têm que encontrar tempo para suas missões como gestores públicos e parlamentares. 

O senador Cássio Cunha Lima, por exemplo, até o momento já esteve em mais de 60 cidades e, até o próximo dia 6 de outubro, comparecerá em pelo menos mais 20. Ele já passou por grandes colégios eleitorais como Campina Grande, Sousa, Patos e Cajazeiras. Nesta quarta-feira (19), cumpre agenda em João Pessoa, onde sobe pela primeira vez no palanque do candidato do seu partido, o senador Cícero Lucena (PSDB).

Para guias eleitorais e gravações repercutidas por carros de som, Cássio pediu votos para mais de 120 candidatos a prefeito e tem solicitação para mais 70.

Mesmo apertando a agenda, essas lideranças estaduais não têm conseguido atender a todos os pedidos, que incluem gravações para horário eleitoral em emissoras de rádio e declarações de apoio que são exaustivamente repetidas em carros de som. 

O governador Ricardo Coutinho terá que se desdobrar para conseguir subir no palanque eleitoral dos 86 candidatos socialistas que encabeçam as disputas para prefeituras paraibanas. Além desses, 35 compõe chapa majoritária na vaga de vice-prefeito e também contam com o apoio do gestor estadual. A assessoria informou ainda que Ricardo Coutinho forma aliança com candidatos que fazem parte do PSB, como os candidatos a prefeito de Bananeiras do PPS, Douglas Lucena.

O governador já participou de atividades de campanha nas cidades de Cajazeiras, Sousa, Patos, Solânea, Bananeiras, Cuité, Pedras de Fogo, Mamanguape. O ritmo está cada vez mais intenso e já próximo à eleição ele tem comparecido em até 10 cidades por semana. A assessoria do partido afirmou que o governador já chegou a estar em seis municípios em um final de semana.

Além dos candidatos do PSB, Ricardo Coutinho gravou propaganda do horário eleitoral para o candidato a prefeito de Patos, Dinaldinho(DEM) e de Guarabira Zenóbio Toscano (PSDB). Nesta terça-feira, o governador marcou presença em três municípios da região da Serra de Teixeira.

A família Vital fez o pacote completo. As gravações para os candidatos a prefeito do interior incluem declarações de apoio do senador Vital Filho, da deputada federal Nilda Gondim e do prefeito Veneziano Vital.Mãe e filhos já gravaram, cada um, mais de 30 participações nos programas de rádio dos candidatos a prefeito no interior. 

O prefeito Veneziano Vital do Rêgo percorre em média sete cidades da Paraíba, entre a sexta-feira e o domingo, desde o início da campanha de rua. No último final de semana, o peemedebista esteve em Cabedelo, Alagoa Nova, Pedras de Fogo, Baraúnas e Frei Martinho.

Para guia eleitoral, só nesta terça-feira (17) o gestor municipal gravou manifestação de apoio para candidatos a prefeito de oito municípios (Gurjão, Areial, Guarabira, Nova Olinda, Ingá, Aroeiras, Gado Bravo e Alagoa Nova).

A assessoria de Veneziano informou que recebeu também a solicitação de mais de 50 aliados para gravar para propaganda eleitoral.

Entre os cabos eleitorais, o senador Cássio Cunha Lima é o mais solicitado. Segundo a assessoria, o tucano tem candidato nos 223 municípios paraibanos, mas a rotina do trabalho parlamentar e o curto tempo de propaganda de rua impedem que ele consiga participar efetivamente de todas as campanhas.

Revista Novo Perfil Online
Fonte: Portal Correio

terça-feira, 18 de setembro de 2012

O deputado federal Luiz Couto (PT-PB) classificou como “muito grave” as denúncias exibidas no ‘Fantástico’, da Rede Globo, no domingo (16), que mostraram a existência da indústria das multas no Brasil, pagas por empresas, que em certos casos contam com apoio de setores do Executivo.

“É importante a ação da Polícia Militar na investigação desse fato, assim como da Procuradoria-Geral e do Ministério Público, a fim de se dar um basta a essa indústria de multas de gente ganhando dinheiro à custa dessa situação”, defendeu Couto.

O parlamentar acrescentou que há denúncias feitas, a partir de alguns estados, de que essa indústria vem crescendo através dos instrumentos eletrônicos que são colocados. “E assim multam, multam, e muitas vezes os serviços de qualidade das estradas não são realizados”.

Luiz Couto também fez referência à matéria apresentada sobre analfabetos que pagam propina para obter a carteira de habilitação.

“Averiguações revelaram que as habilitações chegavam a custar R$ 4 mil e o interessado na compra do documento tinha a opção de pagar a propina com peixe, camarão e lagosta, a exemplo do que acontecia em Mossoró”, relatou o deputado, informando que segundo o presidente do Grupo Nacional de Combate ao Crime Organizado, formado por promotores, há investigações de fraudes nos DETRANs de quase todo o país.

O parlamentar lembrou que o Ministério Público da Paraíba descobriu, após cruzar os dados do cadastro eleitoral com os do Detran, que o estado tem 50 mil analfabetos que conseguiram tirar a habilitação.

Para Luiz Couto, é fundamental que o Ministério Público realize essa investigação e que a Polícia Federal entre nesse circuito para apurar, porque o que o ‘Fantástico’ mostrou é a indústria de multas e a compra de carteiras por quem é analfabeto. “E lá no Rio Grande do Norte você paga a carteira arranjando camarão, arranjando peixe ou lagosta. Isso é suficiente para comprar uma carteira”, completou.

Revista Novo Perfil Online


FONTE: ASSESSORIA

sábado, 15 de setembro de 2012

O Ibope divulgou, nesta sexta-feira (14), uma nova pesquisa de intenção de voto sobre a disputa pela Prefeitura de Campina Grande neste ano.

A pesquisa foi encomendada pela TVParaíba.

Em relação à pesquisa anterior, Romero foi de 34% para 39%, Tatiana, de 20% para 21%, e Daniella, de 21% para 15%.

Veja os números do Ibope para a pesquisa estimulada:
Romero Rodrigues (PSDB) – 39% das intenções de voto
Tatiana Medeiros (PMDB) – 21%
Daniella Ribeiro (PP) – 15%
Artur Bolinha (PTB) – 4%
Guilherme Almeida (PSC) – 3%
Alexandre Almeida (PT) – 1%
Sizenando Leal (PSOL) – 1%
Branco/nulo - 9%
Não sabe/não respondeu - 6%

A pesquisa foi realizada entre os dias 11 e 13 de setembro. Foram entrevistadas 602 pessoas na cidade de Campina Grande. A margem de erro é de 4 pontos percentuais, para mais ou para menos.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB), sob o número 00062/2012.

Pesquisa anterior
A primeira pesquisa do Ibope foi divulgada em 17 de agosto e registrou os seguintes resultados: Romero Rodrigues com 34%; Daniella Ribeiro (21%); Tatiana Medeiros (20%); Guilherme Almeida (4%); Alexandre Almeida (1%); Artur Bolinha (1%); Sizenando Leal não pontuou.

Segundo turno
O Ibope também simulou o segundo turno com os nomes dos dois primeiros colocados na pesquisa. Romero venceria se disputasse contra Tatiana. O resultado do cenário foi:
- Romero 53% x 30% Tatiana

Revista Novo Perfil Online

Fonte: Paraiba1

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Veja a decisão do Tribunal Regional Eleitoral, decidiu sobre o embargo de Tarcisio Marcelo que queria registrar sua candidatura a prefeito em Belém e mais uma fez a Tribunal de não!: 


Belém-PB 
Resumo: 
EMBARGOS DE DECLARAÇÃO OPOSTOS FACE A DECISÃO DESTE TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA PARAÍBA, CONSUBSTANCIADA NO ACÓRDÃO N.º 1.384/2012, QUE POR MAIORIA DESPROVEU O RECURSO.

Decisão: 
EMBARGOS ACOLHIDOS PARCIALMENTE COM EFEITOS MERAMENTE INTEGRATIVOS. A UNANIMIDADE. AUSENTE JUSTIFICADAMENTE O JUIZ JOÃO BOSCO MEDEIROS DE SOUSA. ABSTEVE-SE DE VOTAR O JUIZ SYLVIO PÉLICO PORTO FILHO. ACORDÃO LIDO E PUBLICADO EM SESSÃO.



Trocando em miúdos, o Tribunal declarou que 06 setembro de 2012, como o dia em que o Tribunal Eleitoral acolheu a inlegibilidade já proferida pelo cartório eleitoral de Belém, por coincidência o dia em que Belém, conquistou sua independência, o dia em que ficamos livre das amarras, da chibata, da alcova, do julgo, um dia para ser lembrado por todos pois sabemos que desta vez justiça prevaleceu. A justiça de Belém disse não! A justiça da Paraíba disse não! Será que tem alguém que ainda acredita que Tarcísio Marcelo, recorrendo para o TSE em Brasilia, ainda pode registrar a candidatura? Quando já colocou uma pesquisa na rua usando o nome da candidata a vice como a candidata a prefeita?

Por Henrique Filho 
Fonte: TRE
O Ministério Público Federal (MPF) em Campina Grande (PB) obteve sentença favorável em mais uma ação de improbidade administrativa. A ação de nº 0002834-83.2010.4.05.8201 foi proposta contra o réu Antônio Ribeiro, mais conhecido como Frei Anastácio, em 2010, em razão de descaso reiterado do réu em responder a questionamentos do MPF referentes a investigações sobre denúncias de invasões não apuradas pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Na época o réu era superintendente regional do Incra na Paraíba.

Conforme a sentença, o réu está condenado a perder função pública eventualmente ocupada, ter suspensos os direitos políticos pelo prazo de quatro anos, pagar multa de 30 vezes o valor da remuneração que recebia quando era superintendente (com juros de mora e correção monetária), estando ainda proibido de contratar com o poder público ou receber benefícios e incentivos fiscais pelo prazo de três anos.


Para o juiz da 4ª Vara Federal, o réu não conseguiu justificar a inércia na apuração de denúncias de invasões feitas ao Incra, não havendo “um só despacho, decisão ou manifestação sua nos autos que sinalizasse tenha ele realmente empreendido os esforços necessários a dar sequência ao procedimento administrativo em questão”.


Na ação, o MPF apresentou a série de ofícios requisitórios enviados ao réu, solicitando informações sobre o andamento das investigações das denúncias. Na sentença, o juiz ressaltou: “pode-se facilmente ver que, ao longo da administração do réu, foram quase dez ofícios para que apenas uma resposta fosse dada e, mesmo assim, com um pedido de dilação de prazo que apenas serviu para protelar ainda mais o andamento do procedimento administrativo” e concluiu “restou, portanto, configurada a prática de improbidade administrativa descrita no artigo 11, II, da Lei nº 8.429/92” (Lei de Improbidade). O réu recorreu e o caso será levado ao Tribunal Regional Federal da 5ª Região.


Entenda o caso - Em 2007, durante investigações do Ministério Público Federal para apurar denúncia de que o Incra não teria tomado qualquer providência sobre beneficiário de lote em assentamento, que teria participado de invasões em fazendas localizadas no município de Esperança (PB), o MPF requisitou informações do caso ao então superintendente regional, Frei Anastácio. Pela Lei nº 8.629/93 (sobre reforma agrária), será excluído do programa de reforma agrária do governo federal quem for beneficiado ou pretendente de lote em assentamento e for identificado como participante em conflito fundiário.


Em junho de 2007, o Ministério Público enviou ofício ao Incra questionando o andamento do procedimento administrativo. Após reiterar o ofício pela quarta vez, oportunidade na qual foi entregue em mãos, finalmente houve uma resposta do réu, informando que estava apurando os fatos e pedindo prazo de 60 dias para envio de relatório final. Vencido o prazo de 60 dias, o MPF enviou novo ofício solicitando o resultado final do procedimento administrativo. Como o ofício não foi respondido, foi reiterado em 14 de maio de 2009, em 25 de setembro de 2009 e em 4 de março de 2010 sem que se obtivesse qualquer resposta, apesar dos vários contatos feitos por telefone, inclusive através da secretária do superintendente.


Em 18 de março de 2010, o réu deixou o cargo de superintendente do Incra, assumindo Marcos Faro Eloy Dunda. O ofício buscando as informações foi, então, dirigido ao novo superintendente, que prestou as informações solicitadas. Em 24 de maio de 2010, o novo superintendente nomeou comissão para apuração dos fatos.

Revista Novo Perfil Online
FONTE: Politicapb

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Faltando 25 dias para as eleições municipais, a nova rodada da pesquisa Consult, em parceria com o Sistema Correio de Comunicação, revela uma mudança na disputa pela Prefeitura de João Pessoa.

O candidato pela coligação ‘Unidos por João Pessoa’, o deputado estadual Luciano Cartaxo (PT) cresceu quase 10 pontos percentuais e aparece em primeiro lugar, com 23,92% (pesquisa estimulada). Na última amostragem , realizada entre os dias 18 e 19 de agosto e publicada no dia 24, o petista figurou em terceiro lugar com 14,2%.

O senador Cícero Lucena ( PSDB), candidato pela coligação ‘Por amor a João Pessoa, sempre’, perde a liderança e figura em segundo lugar nessa nova rodada. Sai de 25,3% para 22,92. A diferença entre o tucano e o petista é de um ponto percentual, configurando empate técnico.

O ex-governador José Maranhão (PMDB), na disputa pela coligação 'João Pessoa mais feliz', também caiu. Figurou em segundo lugar na rodada anterior (24%9) e agora caiu para terceiro, com 21,17%.


A candidata da coligação 'Pra seguir em frente', Estela Bezerra (PSB), se mantém na quarta colocação, mas com um crescimento percentual. Ampliou de 9% para 14,42%, quase seis pontos percentuais a mais que na rodada anterior.

Já Lourdes Sarmento, candidata do PCO, apareceu na quinta colocação com 0,42%. Antônio Radical do PSTU e Renan Palmeira do PSOL empataram na sexta posição com 0,33%.


Estela e Maranhão têm maior rejeição entre os consultados

A candidata da coligação “Pra seguinte em frente” Estela Bezerra (PSB), é a que apresenta a maior rejeição: 20,5%. É o que revela a nova rodada da pesquisa Consult (estimulada), realizada em parceria com o Sistema Correio de Comunicação, para a Prefeitura de João Pessoa. Na pesquisa anterior, realizada entre os dias 18 e 19 de agosto e publicada no dia 25, a socialista também apresentou a maior rejeição, com percentual de 19,8%.

A pesquisa completa pode ser conferida na edição de hoje do Jornal Correio da Paraíba. 

Revista Novo Perfil Online

Fonte: Portal Correio

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

TRE julgou na tarde de hoje (12) o pedido de reforma de decisão de Luis Machado, prefeito da Serra da Raiz. O pedido de registro de candidatura Luis Machado havia sido negado pela juiza da 15ª zona eleitoral em primeira instancia, Luis usou do direito que lhe era permitido e recorreu para o TRE, que manteve a decisão  da primeira instancia hoje. O processo teve como relator o Exmo. Desembargador  José Dilorenzo Serpa. Com a manutenção da decisão, segundo informações da assessoria, Luis Machado entrará com embargos junto ao próprio TRE, juntando as decisões TJ. Na tentativa da reformulação da decisão.

Por Henrique Filho 
Chegou ao fim, na noite desta terça-feira (11), o julgamento dos registros dos candidaturas a prefeito, vice-prefeito e vereador para as eleições municipais de outubro próximo. O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) indeferiu 235 candidaturas, sendo 26 ao cargo de prefeito, 14 a vice-prefeito e 195 ao cargo de vereador.

A conclusão da apreciação dos recursos foi concluída quase 20 dias após o prazo estipulado pela Justiça Eleitoral brasileira, encerrado em 23 de agosto. A corte eleitoral julgou mais de 600 recursos referentes aos registros de candidaturas.

Para o diretor-geral, Leonardo Lívio Ângelo Paulino, “os julgamentos tiveram seus prazos estendidos justificado pelo número recorde de pedidos para candidatura. Além disso, a Lei da Ficha Limpa que exigiu mais cuidado dos magistrados nas análises”, esclareceu.

Os candidatos ainda podem recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) modificar a decisão do TRE-PB.

Candidatos a prefeito que tiveram candidatura indeferida:

Alexandre Braga Pegado - Conceição
Jeová Pinto da Silva - Barra de São Miguel 
Antônio Bastos Sobrinho - Pedra Branca
Cláudia Arnaldo de Alencar Araújo - Mataraca
Tarcísio Marcelo Barbosa Lima - Belém 
Ricardo Vilar Wanderley Nóbrega - São José de Espinharas 
Egilmário Silva Bezerra - Cacimba de Areia 
Manoel Antônio dos Santos - Caaporã
Sara Maria Francisca Medeiros Cabral - Bayeux
Joventino Ernesto do Rego Neto - Barra de Santana
Espedito Aldeci Mangueira Diniz - Santana de Mangueira
Odoniel de Sousa Mangueira - Diamante
José Francisco Marques - Aroeiras
Carlos Antônio Araújo de Oliveira - Cajazeiras
Severino Ramos de Souto - Cruz do Espírito Santo
Luís Apolinário dos Anjos - Salgado de São Félix
Glória Geane de Oliveira Fernandes - Uiraúna
Maria Luiza do Nascimento Silva - Sapé
Aldegício Balduíno da Nóbrega - Areia de Baraúnas
Aldiberg Alves de Carvalho - Itaporanga
Adriana Carneiro de Azevedo - Cacimba de Areia
José Vieira da Silva - Marizópolis 
Marcone Adonias Dantas – Paulista
José Carlos Soares - Santana dos Garrotes
Yasnaia Pollyanna Werton Dutra - Pombal
Paulo Nogueira Barbosa/Prefeito/Cabedelo

Candidatos a vice-prefeito que tiveram candidatura indeferida:

José Alvino de Lima - Pedra Branca
Josimar Marcelino Barbosa - Caraúbas
Luiz José Mamede de Lima - Serra Branca
Roberto Bernadino da Cruz - Serraria 
Wilton Pontual de Oliveira - Pilar
José Elias Borges Batista - São João do Cariri
José Will Rodrigues - Itaporanga
Robério Lopes Burity - Ingá
Hermano José Coutinho de Morais - São João do Cariri
Severino Ramos de Souto - Cruz do Espírito Santo
Luís Apolinário dos Anjos - Salgado de São Félix
José Nildo Mota Alexandre – Itatuba
Gilvan Lira Machado – Bayeux
Ana Júlia Soares Cardoso - João Pessoa

Candidatos a vereador que tiveram candidatura indeferida:

Juaci Cordeiro de Souza - São Vicente do Seridó
Antônio Santana de Oliveira - Cuité
Claudenor Lima Santos - Cuité
Lourival Antônio de Medeiros - Cuité
Marilene Santos Gomes - Cuité
José Humberto de Queiroz - São José dos Cordeiros
Josilene Xavier do Nascimento - Sapé
Elson Ferreira da Silva - Soledade
Altemar Bezerra da Nóbrega - Salgadinho
Elton Cleber Ramalho Lopes - Coremas
Maria de Fátima Prazeres de Lima - Sapé
Manoel Wilson Massau da Rocha - Serra da Raiz
Maria Ferreira da Silva - Sobrado
Edilton Silva Nascimento - Areia
Joanita Leal de Brito - Boqueirão
Roberio Vieira Rufino - São Vicente do Seridó
Aldair de Araújo - Juazeirinho 
Maria do Socorro Rodrigues Bezerra - Livramento 
Luiz Alberto Tolentino - Itaporanga 
Carlos Mangueira de Lima - Cachoeira dos Índios 
Damião Firmino dos Santos - Cachoeira dos Índios 
Cleôncio Pereira de Albuquerque - Cachoeira dos Índios 
José Guimarães da Silva - Cubati 
Gilmarqui Alves de Oliveira - Cubati 
Claucivesse da Silva Medeiros - Cubati 
Aldecleia Katiene Silva Medeiros - Cubati 
Abrham Hiberlucio Pereira - Barra de São Miguel 
Gercilda Nóbrega de Brito Pereira - Riacho dos Cavalos 
Vanduhy Vicente Leite - Coremas 
Rafael Francisco da Silva - Alagoinha 
João Batista Alves - Sobrado 
Joselandio Soares de Sousa - Itaporanga 
José Sérgio Alves - Serra da Raiz 
Ricardo Moreira de Souza - Boqueirão
Célio Cordeiro Alves - São Vicente do Seridó
Evanildo Oliveira de Araújo - Serra Branca
Romilda da Costa Araújo - Serra Branca
Francisco Galdino Sobrinho - Serra Branca
José Edilmo Lima da Silva - Serra Branca
Inácio Teixeira de Carvalho - Monteiro
Jacira de Oliveira Silva - Monteiro
Jorge Leite de Sousa - Tavares
Raul Sérgio da Silva Meireles - Pilões
Alberto Alexandrino Pereira Brito -Pocinhos
Erasmo Augusto de Sousa Vieira - Catolé do Rocha
Paulo Nogueira Barbosa - Cabedelo
Adriano José de Paula - Sobrado
Antônio Marcos da Silva - Itabaiana
Izaias Araújo de Brito - Itabaiana
José Armando de Melo e Silva Rodrigues - Itaporanga
Belarmina Ferreira da Silva - Itabaiana
Cícero Mendes da Silva - São José dos Ramos
José Fernandes de Macedo Júnior - Sossego
Severino Amarante Ferreira – Logradouro
Alexandre Ramos Paiva de Souto - Cruz do Espírito Santo
Eduardo Olegário de Oliveira – Juripiranga
Tiago Mariz Soares – Juripiranga
José Paulo da Silva – Mogeiro
Antônio Lino da Silva - Riacho dos Cavalos
Beunides Maria Santiago – Uiraúna
João de Oliveira Araújo – Patos
Ytalo Pinto Gomes - Boa Ventura
Celso Ferreira Oton - Boa Ventura
Dagmando Lopes Araújo - Cuité
Wilson Francisco da Silva - Bayeux
José Marcos de Lima - Riacho de Santo Antônio
Luiz Neves Correia - Salgado de São Félix
Aloísio Rodrigues da Silva - Salgado de São Félix
Marinilson Cabral de Vasconcelos - Salgado de São Félix
Janaína Lilian de Macedo Moura - Frei Martinho
Arlinda Augusto Monteiro - Sobrado
Ivan Fernandes carneiro - Logradouro
Karina Lins da Silva - Mari
Emílio Júnior da Motta Pessoa - Jacaraú
José Jailson Nogueira - Uiraúna 
João Severino dos Santos Filho - Sapé
Paula Francinete Lacerda Cavalcanti de Almeida - Cajazeiras
Antônio Tomaz Aquino - Capim
José Saraiva de Andrade - São José do Brejo do Cruz 
José Germano Trajano dos Santos - Areia 
Antônio José Franca - Sapé
Antônio André de Oliveira Filho - Soledade
Jaqueline Felix da Silva - Sobrado
Nelma Coutinho de Lucena - Itabaiana
Cícero Leite Valdevino - são José de Caiana
Clediomar Mariano de Lima - São José de Caiana 
Damião Rodrigues de Melo - São José de Caiana
Elosmam Batista da Silva - São José de Caiana
Francisca Leite Ramalho - São José de Caiana 
Maria Nazaré Temístocles Lopes - São José de Caiana 
Terezinha Leite Valdevino - São José de Caiana
Maria Aparecida de Souza Santos - Campina Grande
Marconi Paiva Fernandes de Oliveira - João Pessoa
Guido Romero de Lima - João Pessoa
José Ivaldo de Sousa Pacheco - Pombal
Pedro Araújo da Nóbrega - Pombal
Evaldo Maximiano da Silva - Caaporã 
Alexsandro Paulino Ferreira - Caaporã 
Júnio Balbino dos Santos - Caaporã 
Moisés Pereira Barbosa - Boqueirão
Rodrigo Rodolfo de Melo - Marizópolis
João Maurício Pereira Dionízio - Caaporã 
Severino Alex Nazários dos Santos - Caaporã
Eliete Pereira da Costa - Campina Grande 
Luciana do Amaral Araújo - Campina Grande 
Eliane Braz Vieira - Campina Grande 
Erivelton Oliveira Barbosas - Campina Grande 
Eurivaldo de Araújo - Campina Grande 
Jânio de Sena Abdias - Campina Grande 
Maria José Ferreira Santos - Campina Grande 
Marinalva Silva Sousa - Campina Grande 
Walisson Waltiery Amaral Soares - Campina Grande 
Terezinha Leite Cavalcante - Campina Grande 
Laelson Patrício Lima do Nascimento - Campina Grande 
Edson Daniel Ramos - Campina Grande 
Maria da Guia da Silva - Rio Tinto 
José do Nascimento Silva - Rio Tinto
Marlene Rodrigues da Costa – Belém
Izabel Cristina Rodrigues de Melo - Fagundes
Ronaldo Alencar Bezerra - Itabaiana
Shirlene Ferreira da Silva - Itabaiana
Marcos Antônio Bezerra de Lima - Itabaiana
José Claudino de Andrade - Santarém
Raimundo Pedrosa da Silva – Uiraúna
Fabiano Márcio Rodrigues - Conceição
Damião Alves Pereira - São Bento
Francisca Martins Florêncio - Pombal
André Luiz de Oliveira Amaral - Alhandra
Flávio Romero Guimarães - Campina Grande
Irenaldo Antônio da Silva - Santa Rita
Francisco Lindemberg Vieira de Alencar - Santarém
Edilson dos Santos Pereira - Sobrado
Lilian Cristina Pedrosa da Cunha Lima - Baia da Traição
Larissa de Oliveira Garcia de Araújo - Pitimbu
Aldo Felix Alves - Santa Teresinha
Welliton Carlos Alencar de Sousa - Uiraúna
Fanuel Afonso Duarte Júnior - Uiraúna
José Dionísio da Silva Filho - Mamanguape
José Crisanto Muniz de Farias - Pilões
Edson Pereira da Cunha - João Pessoa
Adelgistro Balduino Sobrinho - Patos 
Odílio Isbelo de Morais - Tenório
Izaira Dantas da Silva - Ingá
Maria de Fátima Maurício Pontes - Duas Estradas
Francisco das Chagas Sarmento - Sousa
Wellington Xavier de Lima - Belém
Cosme de Vasconcelos Medeiros - João Pessoa
Edite Rodrigues da Silva - João Pessoa
Hipolito Rodrigues de Souza Neto - João Pessoa
Jacinto Romulo Guedes Paiva - Brejo dos Santos
Jailson Nunes dos Santos - Belém
José Bernardino de Miranda - Umbuzeiro
José Ivanilvo Vieira - Santa Cecília de Umbuzeiro
José Rufino da Costa - Belém
Lindenberg Nunes Dias Novo - João Pessoa
Maria de Fátima Barbosa de Alustau - Belém
Paulo Mendonça da Silva - Belém
Cozete Barbosa Loureiro Garcia de Medeiros - Campina Grande
José Alves Cassiano - João Pessoa
Joana Darc Silva do Carmo - João Pessoa
Alexandro da Silva Gouveia - João Pessoa
Fabiana de Araújo Madruga - João Pessoa
João Carlos Marques da Silva - Salgado de São Felix
Antônio Rodrigues Leite - Cajazeirinhas
Williams Varela de Lima - Bayeux
Gilvanete da Silva - Bayeux
Gilvan Raimundo de Lima - Água Branca
Constantino Cândido da Silva - Paulista
Francisco de Assis Diniz de Lima - Campina Grande
José Carlos Maximino da Silva - Sertãozinho
João Viana Cacho - Pitimbu
Damião João da Silva - Nova Olinda
Severino do Ramo Cavalcante de Paiva - Caldas Brandão
Adelson de Assis Brandão - João Pessoa
Vanildo Dantas Pereira - João Pessoa
Ednaldo Luciano do Nascimento - João Pessoa
João Laurentino Barbalho - Caaporã
Ivo Antônio de Farias - Caaporã
Severino Xavier da Silva - Caaporã
Marcondes Francisco de Melo - Caaporã
Patrícia Cristina da Silva - Caaporã
Nadjane Maria Gomes - Caaporã
Tânia Maria Guedes de Andrade - Campina Grande
Carlos Antônio da Silva - Dona Inês
Charleston de Andrade Silva - Sertãozinho
Alexsandro Flor dos Santos - Dona Inês
Antônio Adriano Duarte Bezerra - Dona Inês
Pablo de Jesus Maia Barreto - Cajazeiras
Paulo Paulino de Araújo - Cajazeiras
Maria das Dores Ramalho Cavalcante - Cajazeiras
João Peregrino Régis - Gurinhém
Jailson de Sousa Santos - Boa Vista
José Wellington da Silva Borges - Patos
João David Sobrinho – Nova Olinda
Valderi Gonçalves de Araújo - Itatuba


Revista Novo Perfil Online
Fonte: Portal Correio

A política de Belém este ano traz de forma surpreendente duas mulheres candidatas a Vice-prefeita, Betanea Barros (PCdoB)  candidata vice de Edgard (PMDB) e Crisneilde (Cris) (PTB) candidata a vice de Tarcisio Marcelo, o curioso é que nesta terça-feira (11), passou uma pesquisa em Belém, onde já não mais trazia o nome de Tarcisio Marcelo como candidato a prefeito e sim o de Crisneilde e tendo como vice Bau (PSD). Como fui entrevistado posso reproduzir fielmente as perguntas que a pesquisadora me fez; que foram as seguintes:


1ª Se as eleições fossem hoje em quem você votaria?
2ª Se a candidata fosse Crisneilde e Bau você mudaria seu voto?
3ª Como você avalia a gestão do atual prefeito?
4ª você já tem vereador?

Quanto a pesquisa tudo bem, o “Fato Estranho”, é que não figurava mais o nome de Tarcisio Marcelo como candidato a prefeito e se o de Crisneilde. Será que foi pelo fato de duas derrotas na justiça eleitoral, negando o registro de candidatura de Tarcisio, que ele reconheceu, que não pode ser mais candidato? Resolvendo ficar como cabo eleitoral de sua cunhada ou irá apelar para o TSE em Brasília? Onde fatalmente também será indeferida sua candidatura com base na Lei da Ficha Limpa, assim como já foi feita nos tribunais de Belém e João Pessoa.  É amigos, pelo jeito a casa caiu!

Por Henrique Filho

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Luis Machado

Está na pauta do TRE de hoje, terça-feira (11). TRE julgará hoje o pedido de reforma de decisão de Luis Machado, prefeito da Serra da Raiz. O pedido de registro de candidatura Luis Machado foi  negado pela juiza da 15ª zona eleitoral em primeira instancia, Luis usou do direito que lhe era permitido e recorreu para o TRE que Julgará hoje, o processo tem como relator o Exmo. Desembargador  José Dilorenzo Serpa. os internautas podem acompanha o julgamento ao vivo no Canal Novo Perfil.

O julgamento foi adiado para sessão do dia 12/09

Por Henrique Filho

segunda-feira, 10 de setembro de 2012


O candidato do PMDB à prefeitura municipal de Areia, Ademar Paulino de Lima, do PMDB, protocolou, na noite de ontem, domingo (09), no Tribunal Regional Eleitoral da cidade, um pedido de renúncia da candidatura à sucessão municipal.

A decisão surpreendeu a todos já que o peemedebista, que é atual vice prefeito, tinha uma boa aceitação no município.

Segundo o chefe do cartório eleitoral na cidade, Roberto Duran, o pedido ainda não foi efetivado porque falta o reconhecimento da firma da assinatura do candidato. “Estamos aguardando ele consertar e reconhecer a firma para efetivarmos a desistência”, explicou.

Agora, com a desistência do candidato, a disputa na cidade fica mais acirrada. No município, ficaram apenas duas postulações, são elas: a do candidato da situação, Jandyr , do DEM, contra a do candidato das oposições, Paulo Moveis, do PRB.

Jandyr é empresário do ramo de alimentos e se candidata pela primeira vez. Seu nome foi escolhido de última hora pelo atual prefeito Elson Cunha Lima (DEM).

Já Paulo Moveis, também é empresário, é irmão do deputado estadual Tião Gomes (PSL) e tenta pela segunda alcançar a prefeitura de Areia. No pleito de 2008, ele foi derrotado por apenas 153 votos de diferença em relação ao primeiro colocado.

A dúvida agora gira em torno do posicionamento que o candidato desistente tomará. Se apoiará a situação, se apoiará a oposição ou se ficará neutro nestas eleições. Nos bastidores, a informação era que Ademar Paulino tinha um acordo com Elson Cunha Lima para disputar o pleito deste ano, em uma espécie de rodízio, no entanto, o peemedebista teria sido traído e decidido lançar candidatura própria ao lado de João da Caixa. 

Revista Novo Perfil Online
Fonte: PBAgora

domingo, 9 de setembro de 2012

Amir Gaudêncio
Morreu neste domingo (9) em João Pessoa o ex-senador Amir Gaudêncio. Ele lutava contra um câncer há seis anos e veio a falecer pela manhã. Gaudêncio tinha 81 anos de idade e faleceu por falência múltiplas dos órgãos.
Natural de São João do Cariri, Gaudêncio foi secretário de educação de Campina Grande, superintendente do INPS, presidente da PBTur, Superintendente do IAPAS, secretário de Indústria e Comércio do Estado e assumiu o Senado da República.
O enterro aconteceu às 17h de hoje, no Parque das Acácias, onde também o corpo de Amir Gaudêncio foi velado, na Capital. 

Revista Novo Perfil Online
FONTE: POLÍTICAPB

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

O governador Ricardo Coutinho (PSB) fez um desabafo em relação ao empréstimo da Cagepa e a tentativa da Assembleia Legislativa de barrar a aprovação da matéria. Para ele, estão tentando privatizar o órgão assim como fizeram com a Saelpa.

“A oposição quer acabar com a empresa pública. Provavelmente aqueles que venderam a Saelpa, querem também inviabilizar a Cagepa. Mas a Cagepa vai escapar sim, porque nós estamos firmes e também porque sou uma pessoa muito determinada, e isso faz com que os adversários tenham raiva de mim”, disse o governador.

Ricardo ainda acrescentou que com determinação vai conseguir colocar a Cagepa como uma empresa rentável e saudável financeiramente. “Para as coisas que são corretas eu tenho muita determinação. Nós vamos conseguir sim fazer com que a Cagepa continue uma empresa pública e mais que isso, que se torne equilibrada. Infelizmente a cegueira e o ódio político que existe na Paraíba não permitem que as disputas sejam feitas em cima de ideias e isso termina prejudicando os verdadeiros patrimônios públicos”, destacou.

Revista Novo Perfil Online
FONTE: POLÍTICAPB

segunda-feira, 3 de setembro de 2012


Na tarde desta segunda-feira (03) o TRE deu inicio ao julgamento do recurso da coligação “Agora é povo que quer”, que tem como candidatos a prefeito e vice Tarcisio Marcelo e Crisneilde, respectivamente Irmão e esposa de Ricardo Marcelo, este ultimo presidente da Assembléia Legislativa da Paraíba. A corte ouviu os argumentos dos advogados das partes. Logo após relator proferiu o voto a favor da inexigibilidade de Tarcisio Marcelo enquadrando-o na Lei da Ficha Limpa, logo após outro membro votou seguindo o parecer do relator dando parecer igual ao da justiça eleitoral de Belém que já indeferiu a candidatura de Tarcisio Marcelo em 1ª instancia, o terceiro membro pediu vistas para analisar o processo do TCU, o qual o relator em seu discurso de voto proferiu que; “o impugnado teria causado danos irreversíveis ao erário publico com 2 saques no valor R$ 240.000,00 (duzentos e quarenta mil reais) de um convenio sem se quer haver tido a tomada de preço (licitação) ”. esse foi o motivo que o TCU condenou o ex-prefeito Tarcisio Marcelo. Com o pedido de vista o julgamento foi adiado para a amanhã sendo que já se tem 2 votos a favor da confirmação da não candidatura faltando apenas mais um voto para a confirmação da impugnação.

Por Henrique Filho            

Está na Pauta desta segunda-feira (03) o julgamento do recurso da coligação “Agora é o povo que quer”, a sessão terá inicio às 14:00hs. Depois do indeferimento da juíza eleitoral da 54ª zona, o prefeitavel, Tarcisio Marcelo, pelo motivo da aplicabilidade da Lei Ficha Limpa. Após o resultado de hoje, ainda cabe recurso para TSE, em Brasília, que já começou os julgamentos referente às eleições 2012. 

Origem:
Belém-PB (54ª ZONA ELEITORAL - Belém)
Resumo:
RECURSO ELEITORAL - REGISTRO DE CANDIDATURA - RRC - CANDIDATO - IMPUGNAÇÃO AO REGISTRO DE CANDIDATURA - INDEFERIMENTO DE REGISTRO DE CANDIDATURA - CARGO - PREFEITO - PEDIDO DE REFORMA DA DECISÃO

Por Henrique Filho
O município de Riachão, no curimataú paraibano, viveu neste sábado (01) um momento único em sua história política, desde que foi emancipada, há exatos 18 anos. 

Na manhã deste sábado, Erinaldo Moura do Nascimento (PSB), foi empossado prefeito do município de Riachão, após ser eleito de maneira indireta, com votos dos vereadores da Câmara Municipal, e deve cumprir mandato até 31 de dezembro de 2012. O ex-vereador, Cosmo Viana (PMDB) é o vice.

Com isso, Naldo deixa a Câmara Municipal, dando o espaço para o suplente Izael (PMDB), e Dió que, estava como prefeito interino, volta a presidir os trabalhos da casa legislativa.

Naldo, como é mais conhecido o novo prefeito do município, é o terceiro prefeito que assume a cadeira do executivo este ano no município.

Revista Novo Perfil Online
Blog do Mago

Longe do plenário da Assembleia Legislativa, a deputada estadual Olenka Maranhão teve uma tarde movimentada em Araruna neste domingo. Ela discutiu com homens da Polícia Militar que estavam fazendo operações de fiscalização entre os limites de Cacimba de Areia e Araruna, onde o PMDB realiza atividade eleitoral em favor da candidatura da prefeita Wilma Maranhão, mãe da deputada.
O PMDB considerou a operação como um obstáculo e uma tentativa de intimidação à mobilidade das pessoas que iriam participar do evento. Em Cacimba de Areia, esquema policial aguardava chegada do governador Ricardo Coutinho, que foi à cidade para assinar ordem de serviço para construção do hospital regional.
Um forte bate-boca foi travado entre policiais militares e integrantes da coligação do PMDB. O representante da coligação de Wilma Maranhão, Cláudio José de Moura Câmara, se exaltou demais e acabou sendo levado para Delegacia de Solânea, onde foi autuado em flagrante por desacato a autoridade.

A deputada Olenka Maranhão saiu apenas rouca da discussão.

Revista Novo Perfil Online
Fonte: Luís Tôrres

sábado, 1 de setembro de 2012

Somente um candidato da cidade de São Domingos do Pombal, no sertão paraibano, não assumirá o cargo após as eleições municipais deste ano.

O município tem apenas uma candidatura para a prefeitura, e os dez candidatos a vereador concorrem a nove vagas na Câmara Municipal - a menor relação candidato-vaga do país. Já a maior concorrência por vaga de vereador do país ocorre no Rio de Janeiro e em Guarulhos.

Em São Domingos do Pombal, todos os postulantes aos cargos do Legislativo são de uma mesma coligação, a São Domingos Não Pode Parar. O único candidato de oposição teve o registro de candidatura indeferido e não participará da disputa.

O representante da coligação única, Juan Douglas (PMDB), vice-prefeito de São Domingos de Pombal e candidato à reeleição, diz que, por pouco, as eleições na cidade não tiveram "concorrência zero".

Segundo ele, a candidata Aliam Maria (PP) se candidatou a vereadora apenas para cumprir a exigência da cota legal de 30% de mulheres na coligação. “A finalidade era somente preencher as vagas, mas agora parece que ela quer ser eleita”, afirma Juan Douglas.

A cidade tem 2.965 eleitores, segundo dados do TSE - número maior que o registrado nas eleições municipais de 2008, quando contabilizava 2.766 votantes. O número de candidatos, no entanto, diminuiu. Há quatro anos, eram 14 disputando as nove vagas na Câmara Municipal.

Com tão pouca concorrência, a disputa eleitoral na cidade tem sido tranquila. “Praticamente não tem campanha, a gente está só esperando o dia”, afirma Juan Douglas.

“A juíza até disse que vai dar um prêmio aos candidatos no final de tão tranquila que está. Todo mundo está seguindo bem direitinho o que ela pede, ninguém faz confusão”, brinca Adriano Wagner, chefe do cartório da 31ª Zona Eleitoral, responsável pela área de São Domingos de Pombal.

Sebastião Ferreira, o Tiãozinho (PSB), único candidato a não fazer parte da coligação São Domingos Não Pode Parar, teve a candidatura indeferida devido a problemas no próprio partido.

“Ele é de partido isolado, mas o partido não fez a convenção e está sem validade. Por isso, ele foi impedido de se candidatar”, diz o chefe do cartório.

Em entrevista ao G1, alguns dos candidatos revelam que há campanha e corpo-a-corpo, inclusive com a distribuição de adesivos. Todos os candidatos da cidade declararam um limite de gastos de R$ 3 mil, segundo o TSE. Mas há uns que não chegaram a gastar mais de R$ 100 até agora.

Um vereador em São Domingos de Pombal ganha atualmente R$ 2.200. Porém, nesta sexta (31) foi apresentado um projeto para que o valor seja reajustado para R$ 2.765. O projeto deverá ser votado na próxima semana.

Revista Novo Perfil Online 
Fonte: G1

Candidatos a vereador em São Domingos de Pombal (Foto: Reprodução/TSE)Os dez candidatos a vereador em São Domingos de Pombal (Foto: Reprodução/TSE)